Dia Global do Empreendedorismo Feminino

Compartilhe:

No Dia Global do Empreendedorismo Feminino, 19 de novembro, data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2014, para incentivar a abertura de negócios por mulheres, impulsionando o crescimento econômico e o desenvolvimento sustentável. celebrando o papel da mulher empreendedora na economia.

Com o intuito de atrair a atenção mundial para o impacto econômico e social do movimento, fortalecendo o protagonismo feminino, o empreendedorismo feminino colabora para a construção de uma sociedade mais justa, gerando oportunidades de liderança para as mulheres em um espaço maioritariamente masculino.

Foi competindo em um mercado de trabalho dominado por homens que a engenheira Dieny Pinto começou a atuar: “na década de oitenta o mercado de trabalho era dominado por homens, fazendo da topografia meu projeto de vida, criando espaço e elevando meu nome no mercado, sendo reconhecida e me tornando respeitada.”

Para a professora Msc Arcangela Sena, são muitos os desafios para a mulher no mundo em que vivemos, “porque vivemos uma sociedade patriarcal, que demora a reconhecer a liderança e a gestão feminina, mas até isso é considerado um desafio maior a superar e adoro desafios.”

Em um ano atípico como 2020, que afetou negócios de todos os tamanhos e lugares, é preciso celebrar a garra das mulheres empreendedoras. Com carga de trabalho extra durante o isolamento social, equilibrando trabalho, educação dos filhos e tarefas domésticas, mulheres empreendedoras tiveram, e ainda estão tendo, uma árdua batalha a travar. O empreendedorismo feminino tem ainda um caminho longo pela frente, reunindo negócios idealizados e comandados por mulheres, e, também, iniciativas de liderança feminina, como a atuação de mulheres em altos cargos dentro de empresas. Nós, do Grupo Status, admiramos e queremos parabenizar as mulheres que todos os dias enfrentam batalhas diárias e não desistem de tornar sonhos em realidade. E em especial a nossas colaboradoras, gerentes e líderes, que nos ajudam a construir, dia a dia, a nossa história.

Confira a seguir os depoimentos da Engenheira Dieny Pinto e da Professora Msc Arcangela Sena:

Dieny Pinto – Engenheira e Técnica Agrimensora

Vim de uma família de baixa renda, nove irmãos, sou a mais nova, sendo seis mulheres e três homens, criados por uma mulher, considerada hoje como chefe de família. Fui de certa forma privilegiada por ter a oportunidade na época de estudar, com ajuda da família, que me deu todo apoio, me formei como técnica Agrimensora, iniciando assim minha trajetória em um ramo da engenharia, que na década de oitenta o mercado de trabalho era dominado por homens, fazendo da topografia meu projeto de vida, criando espaço e elevando meu nome no mercado, sendo reconhecida e me tornando respeitada.

Sempre trabalhei em empresas de topografia, como responsável de sala técnica, porém em 2010 comecei timidamente a empreender, iniciei com um pequeno escritório, prestando serviços de sala técnica, como já estava bem conhecida e sentindo a necessidade de ampliar meu empreendedorismo, montei uma equipe e comecei a prestar todo e qualquer serviços de topografia e georreferenciamento. Apesar de muitos desafios que o mercado de trabalho enfrentou nesse período crítico de nossa história, consegui me manter, graças a muito respeito pelo trabalho e responsabilidade com os clientes, os quais presto serviço, que são as minhas referências.

Tendo a necessidade de elevar meu leque de conhecimento, me formei como Engenhara Civil no ano de 2018, expandindo minha atuação no mercado, hoje em dia tenho como objetivo continuar a empreender na área, utilizando inovações tecnológicas, voltadas lógico para topografia, como tomadas de decisão que definirá meu futuro, deixando um legado para todas as mulheres, que desejam se projetar neste ramo que é dinâmico.

Arcangela Sena – Professora Msc. Jornalista e Publicitária.

O empreendedorismo e eu:

Acho que fomos apresentados,  verdadeiramente,  quando decidi ser jornalista e entendi que a construção da minha carreira não poderia ser apenas o que aprendi em sala de aula ou até mesmo no mercado. Desenvolvi a habilidade de observar o mundo,  verificar suas necessidades, suas oportunidades, principalmente, no ramo profissional que escolhi.

Quando fiz publicidade, senti que o olhar para o empreendedorismo ampliou. O que antes era apenas a busca pelo crescimento no local de trabalho,  passou a ser a busca por algo que pudesse ser próprio.

Comecei a empreender por oportunidade a partir de 1998 e de lá pra cá,  venho, a cada dia, trabalhando tanto o intraempreendedorismo quanto o empreendedorismo.

Os desafios são muitos, porque vivemos uma sociedade patriarcal, que demora a reconhecer a liderança e a gestão feminina,  mas até isso é  considerado um desafio maior a superar e adoro desafios.

Empreender é foco, é determinação e principalmente,  vontade.

Compartilhe:
No Comments

Post A Comment